Projetos Realizados

APOIO AO CONSUMIDOR ENDIVIDADO [2013 a 2017]

A AMRT pertence à Rede de Apoio ao Consumidor Endividado (RACE) desde 2013 que tem como função informar, aconselhar e acompanhar utentes que se encontrem em situação de endividamento, ajudando-os na procura de soluções e estabelecimento de acordos de pagamento junto dos seus credores.
A informação, aconselhamento e acompanhamento prestados pelas entidades que compõem o RACE é totalmente gratuito e sem quaisquer encargos para os/as consumidores/as.
A Rede de Apoio ao Consumidor Endividado também promove a literacia financeira que se considera instrumental para prevenir novas situações de sobre endividamento.

Siga este link para mais informações:

 

 

 

 

EMPREENDEDORISMO IMIGRANTE [2011 a 2014]

O projeto tinha como objetivo apoiar os/as imigrantes a explorar a ideia de negócio e criar o seu próprio emprego.
Era um curso constituído por:
– Ações de formação e capacitação gratuitas: curso «Apoio à Criação de Negócios» com 10 sessões coletivas e 8 sessões personalizadas e ajustadas às suas necessidades;
– Facilitação de contatos junto de programas de apoio e financiamento ao empreendedorismo;
– Acompanhamento e orientações técnicas para o desenvolvimento da sua ideia de negócio;
– Atividades/Eventos sobre empreendedorismo organizadas/os no âmbito do projeto

 

TERRITÓRIOS INVISÍVEIS [2011 a 2012]

O projeto Territórios Invisíveis iniciou em 2011, em parceria com a Câmara Municipal de Loures (CML) – entidade promotora e AMRT – entidade formadora em que consistiu em ministrar o curso “Vê, Ouve e Cria – Técnico/a de Multimédia”, na área de Áudio-visuais e produção de medias. Este curso foi elaborado para jovens adultos em situação de abandono escolar, para adquirir novas competências e facilitar e a entrada no mercado de trabalho. O nosso papel passou por realizar todo o acompanhamento da parte pedagógica do curso e acompanhamento dos/as formadores/as.

Mais informações em:

Siga este link para ver video produsido pelos formandos:

 

 

INTERCÂMBIOS

“ACTION FOR EQUALITY” [2009]

Em 2011, realizámos um intercâmbio entre Itália e Portugal projeto Action for Equality que teve como objetivo: criar momentos de debate, partilha e descoberta com jovens no sentido de consciencializar para os desafios que enfrentam hoje as sociedades multiculturais, aprender e contribuir para uma sociedade mais coesa.

“THE LIFE OF ONE STREET” [2009]

Este intercâmbio entre a Polónia e Portugal, The Life of One Street no âmbito do Programa Juventude em Ação. Este intercâmbio contou com 28 participantes (14 da Polónia e 14 de Portugal). As atividades realizadas decorreram em 3 concelhos: Oeiras, Lisboa e Loures. Nesta atividade foi importante a parceria com moradores do concelho de Loures    e Amadora enquanto família de acolhimento dos/as jovens participantes. Foi um intercâmbio de Jovens financiado      realizado em 2008. Observou-se a “Rua Augusta” e o grupo Polaco observou uma rua principal de Starachowice.         Falou-se e partilhou-se sobre as duas culturas europeias. O grupo Polaco era de uma área com uma taxa de   desemprego elevada e o grupo Português pertenciam a minorias étnicas e económica e socialmente desfavorecidas.

YOUTH UNIVERSITY4 DEVELOPMENT-MOLLINA [12-19SETEMBRO-2010]

 

 

 

 

 

 

 

 

PRÉMIO JOVEM AMRT [2006 a 2013]

Este Prémio visou premiar três jovens residentes na Freguesia de Unhos, relativo ao 1.º ciclo, 2.º ciclo e 3.º ciclo, valorizando a conciliação família, associativismo e escola. O prémio é atribuído anualmente na comemoração do Aniversário AMRT, desde 2006. O Fundo Social Europeu intervém no financiamento do Prémio Jovem AMRT, sendo cofinanciado pelo POPH – Programa Operacional Potencial Humano, no âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), e pelo Estado português por via do ACIDI – Alto Comissariado pela Imigração e Diálogo Intercultural, I.P.

 

 

 

 

 

 

ATELIÊ DE FÉRIAS [2007 a 2019]

Terminada a época escolar das nossas crianças e jovens, e como já tem sido habitual, a AMRT encontrava-se a organizar um novo atelier de férias. Em 2019, as crianças e jovens puderam participar em atividades várias de desporto, tal como Rugby e Jiu Jitsu, entre outras, tendo tido ainda a oportunidade de desfrutar em grupo de uma ida à praia. Este ano e ano passado estas atividades foram suspensas devido à pandemia.

 

 

 

 

 

ENTIDADE FORMADORA [2009 a presente]

A AMRT também começou a dar formações modulares acreditada pela Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) tendo em 2010, lecionando o curso “Animação no domicílio e em instituições – planificação de atividades”. Estas formações permitiram acumular créditos para quem pretende concluir o 6.º e o 9.º ano de escolaridade. Estas formações continuaram até ao 1.º trimestre de 2012. Em maio de 2016 a AMRT passa de entidade formadora acreditada para entidade formadora certificada nas seguintes áreas: Desenvolvimento pessoal, Audiovisuais e produção dos media, Línguas e literaturas estrangeiras, Língua e literatura materna, Marketing e publicidade, Informática na ótica do utilizador, Serviços de apoio a crianças e jovens e Trabalho social e orientação.

 

 

 

GRUPO DE JOVENS MULHERES [2008]

Da necessidade de criar um espaço de formação, reflexão e partilha criou-se em 2008 o grupo de Jovens Mulheres para fazer face aos desafios que as jovens enfrentam, nomeadamente: a nível da educação de género, violência doméstica, entre outros.

 

 

 

 

 

CENTRO DE ESTUDOS

Centros de Estudos as atividades são: o apoio escolar para o 1.º ciclo e as explicações para o 2.º e 3.º ciclo. Este serviço permite trabalhar com crianças e jovens da comunidade imigrante, cigana e em geral que têm dificuldade a nível escolar e que tem como objetivo prevenir o abandono escolar.

 

 

 

 

 

 

 

 

DESPERTAR CONSCIÊNCIAS

Para proporcionar uma maior conscientização acerca da cidadania e para a necessidade de uma participação mais ativa e efetiva na sociedade portuguesa por parte dos descendentes de imigrantes e imigrantes, em 2007 nasceu o Despertar Consciências.
“1ª fase: inventariar os problemas, aqueles que temos conhecimento (insucesso escolar, violência, drogas…) e aqueles que têm estado escondidos”
– Acrescentar “insucesso e abandono escolar”,
– Retirar”drogas” e colocar “outros”

 

 

 

SAI DO BAIRRO CÁ DENTRO [2007 a 2012]

Em dezembro de 2006 nasce o projeto SAI do Bairro Cá Dentro, 3ª Geração do Programa Escolhas. Tratou-se de um projeto de cariz social tutelado pela Presidência de Conselho de Ministros. O projeto Sai do Bairro Cá Dentro foi coordenado pela AMRT e envolveu diferentes parceiros, a Câmara Municipal de Loures, a Junta de Freguesia de Unhos (atualmente união de freguesias de Camarate, Unhos e Apelação) e o Agrupamento de Escolas Catujal/Unhos. Este projeto foi a dirigido aos jovens entre os 6 anos e 24 anos e seus familiares. Ele visava fomentar o envolvimento regular de jovens descendentes de imigrantes, a ocupação de tempos livres, promoção de igualdade de informação e direitos/deveres individuais e comunitários, garantir melhor desempenho escolar, combater o absentismo escolar, capacitá-los com novas competências pessoais e sociais e ajudar no reconhecimento de que cada vez mais se quer um mundo intercultural e que isso torna-nos cada vez mais ricos. Diversas atividades são realizadas como o desporto, workshops, ações de consciencialização, centro de explicações. Destacou-se ainda o Espaço CID@NET (Centro de Inclusão Digital) onde se promoveu junto dos jovens a inclusão digital através de ações lúdico pedagógicas específicas de âmbito formativo em tecnologias de informação e comunicação. Este projeto manteve-se em vigor até à 4ª Geração do Projeto Escolhas, totalizando 6 anos e contou com a participação de cerca de 402 jovens da freguesia. Entretanto criada a equipa de basquetebol com jovens dos 16 aos 24 anos. Em 2013, realizou-se a filiação do clube AMRT Ubuntu Basket junto da ABL – Associação de Basquetebol de Lisboa e a inscrição dos escalões sub-10 e sub-12 tornando possível a participação no campeonato federado.

 

VAMOS UTOPIAR / SAI DO BAIRRO [2007 a 2011]

Em 2005 surgiu o projeto Vamos Utopiar coordenado pelo GRAAL, com a nossa parceria na atividade SAI do Bairro.
O Graal é um movimento transnacional de mulheres que tem como missão promover uma cultura de cuidado tendo em vista o futuro do planeta e a qualidade de vida da humanidade, procurando criar novos modelos de vida e estimular a participação na sociedade.
A atividade SAI do Bairro consistia em valorizar positivamente os ambientes de vida, onde as crianças desenvolvem as suas sociabilidades na família, no bairro, na associação e na escola. Tratou-se de um projeto local e nacional que envolveu diferentes entidades, o ACM, a Associação Guias de Portugal (AGP), a Lusotemp (Empresa de Trabalho Temporário) e o GRAAL. Estas entidades com o apoio da Iniciativa Comunitária Equal procuraram promover a participação igualitária de imigrantes, minorias étnicas na sociedade portuguesa. Foram realizadas diversas atividades, destacando-se encontros e as ações de consciencialização para jovens e adultos para debater perspetivas relacionadas com a imigração e identificar as medidas capazes de contribuir para a resolução dos problemas partilhados. A AMRT, GRAAL e ACM promoveram o desenvolvimento da atividade “Sai do Bairro – no sentido da inclusão” cujo principal objetivo era a capacitação das crianças, dando-lhes o papel de protagonistas do seu processo de aprendizagem e desenvolvimento pessoal e social sempre na interação com o outro.
Numa fase inicial foram promovidas interações entre crianças e jovens do Bairro do Talude com crianças e jovens da AGP através de encontros onde se realizam diversas dinâmicas. Numa fase posterior introduziu-se a metodologia do SAI do Bairro nos Bairros da Quinta da Serra (Prior Velho) e do Pombal XXI (Oeiras), promovendo a interação das crianças dos diferentes bairros. Foi produzido um manual com a metodologia do diapositivo pedagógico elaborado a partir do processo de intervenção junto de um grupo de crianças.

 

SERVIÇO DE APOIO À INFÂNCIA (SAI) (2003/2011)

Sem respostas, as cartas enviadas pela direção da AMRT a dar a conhecer a necessidade de um espaço para receber crianças, das seguintes entidades publicas com responsabilidades locais nomeadamente o Centro Regional da Segurança Social, Câmara Municipal de loures e a Junta de Freguesia de Unhos). E tendo em conta que os pais tinham que sair de casa muitas vezes de madrugada e chegavam a casa muito tarde, deu-se inicio a 1 de Setembro de 2003 o SAI.
No início de 2004 já estavam cerca de 30 crianças nas valencias de Creche com 7 Jardim com 10 de Infancia e ATL com 13.
Encerrou em finais de 2011 quando a Segurança Social decidiu intervir, obrigando as instituições mais proximas a aumentar o numero de crianças por valencias para receber as crianças do SAI.
Nos 7 anos em que o projeto funcionou passarram pelo SAI cerca de 455 crianças, de locais como a amadora e Vila Franca de Xira, este tes de mais longe porque os seus pais estavam a trabalhar no Catujal.
Atualmente a AMRT – Associação para a Mudança e Representação Transcultural continua a procurar soluções para abrir uma Creche no Território.

 

 

GRUPOS DANÇAS TRADICIONAL CABO-VERDIANAS  [1990/2010]

O primeiro projeto que levou a dar a conhecer a Associação AMRT e o Bairro do Talude a todas a redondesas, incluindo alguns concelhos mais próximos como Setubal, Sesimbra, Seixal, Almada, Lisboa, Sintra, Oeiras. Durante todos estes anos que foram muito entusiasmante para todos os participantes e elementos da Direção que puderam a companhar o crescimento e a aprendisagem dos diversos grupos de faixas etárias diferentes em torno das tradiçõesculturais ao nível da musica e daforma de dançar das terras de origem dos seus pais.
Danças como o Funana, Coladera, Cola San Djon, Mazurca e Batuque contribuiram para que muitos dos jovems nascidos em Portugal, e outros que imigraram para desde tenra idade pudessem criar mais laços com as suas raizes de forma natural. Passaram pelos diversos griupos mais de 100 pessoas na sua maioria Jovens.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Melhoramentos no Bairro do Talude [1985 a 2002]

No início dos melhoramentos no bairro a Comissão de Moradores/as da AMRT encetou negociações com a Junta de Freguesia de Unhos, a Câmara Municipal de Loures (SMAS) e a EDP no sentido de desbloquear acesso a serviços básicos, como a água e a eletricidade. Foram realizados os trabalhos de instalação de conduta de água, o SMAS realizou os respetivos contratos de abastecimento e instalou os contadores. No mesmo sentido foi realizado um trabalho junto com a EDP que instalou a iluminação pública e cada morador/a realizou o seu contrato com a EDP. Também foi instalado uma cabine de telefone em frente à sede da AMRT. Por fim foi realizada a pavimentação da estrada que passa no bairro com a comparticipação financeira de cada morador/a.

Siga este link para ver uma reportagem sobre o Bairro:

 

Partilhar:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Relacionadas

Notícias mais lidas

Vozes da Diáspora

Em 2005 recebemos convite da Fundação Infância Feliz de Cabo Verde para participar num concurso de canto, e desde então a AMRT – Associação para

Despertar Consciências

Este projeto pretende conforme o seu nome indica, trabalhar os temas mais diversos da sociedade de forma que leve os participantes a pensarem do seu